Páginas

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Parabéns a todos!

13 de julho. Dia Mundial do Rock.

O que dizer de um movimento que surgiu lá nos longínquos anos 50 nos confins americanos?

O que dizer do ritmo que moldou gerações, pensamentos, revoluções e principalmente emoções?
Emoções clássicas, surfers, folks, glams, hards, punks, new wavers, heavys, góticas, psicodélicas, brasileiras.
Isso mesmo. Brasileiras também. Nenhum país no mundo passou incólume à energia poderosa e contagiante do bom e velho rock and roll.
E essa energia que também trouxe coisas boas, como união, paz e solidariedade. E num momento desses, onde astros e estrelas da música global se uniram há exatos 25 anos, num sábado, 13 de julho, que foi institucionalizado um dia oficial e especial para se comemorar tão longeva e quiçá eterna, fonte de energia humana. (Marcelo Petter)
Bob Geldof organizou o Live Aid, um show simultâneo em Londres na Inglaterra e na Filadélfia nos Estados Unidos. O objetivo principal era o fim da fome na Etiópia e contou com a presença de artistas como The Who, Status Quo, Led Zeppelin, Dire Straits, Madonna, Queen, Joan Baez, David Bowie, BB King, Mick Jagger, Sting, U2, Paul McCartney, Phil Collins (que tocou nos dois lugares), Eric Clapton e Black Sabbath.

Foi transmitido ao vivo pela BBC para diversos países e abriu os olhos do mundo para a miséria no continente africano. 20 anos depois, em 2005, Bob Geldof organizou o Live 8 como uma nova edição, com estrutura maior e shows em mais países com o objetivo de pressionar os líderes do G8 para perdoar a dívida externa dos países mais pobres erradicar a miséria do mundo. (wikipedia)

video

Um comentário:

  1. Nós não devemos ser responsáveis, nós devemos ser irresponsáveis (artisticamente falando)... o Rock 'n' Roll deve ser irresponsável." (Bono Vox)

    ResponderExcluir