Páginas

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Viver é melhor que sonhar


O tempo passou. Aqueles rapazes latino americanos sem dinheiro no bolso fizeram suas vidas, suas famílias e consequentemente seus bolsos. E numa dessas de aproveitar a boa valorização de nossa moeda, resolveram ir às compras em terras estrangeiras.
E não é que lá encontram aquele que alimentou nossa adolescência e juventude cantando que "tudo é divino, tudo é maravilhoso"!
Inveja boa à parte, acompanhada do previsível arrepio, recebo esta história e registro fotográfico de meus amigos Fernando Koch e Jair Wagner. Este último, de camisa branca na foto, com um sorriso que demonstra bem a felicidade e a surpresa de encontrar uma parte de sua história ao vivo e a cores.
Que Belchior estava recluso no Uruguai já é sabido de todos, uma vez que sua privacidade e auto-exílio midiático foram fartamente explorados pela Rede Globo pouco tempo atrás. Porém, que ele circulava por nossas fronteiras, é uma saudável novidade. Principalmente de seus saudosos fãs, que tenho certeza, apoiam o seu retiro proposital, uma vez que um trabalho com canções inéditas está sendo gestado, segundo palavras do próprio Belchior.
Eu fico imaginando a surpresa do Jajá ao dar de cara com o ídolo.
"Cara, quando eu vi, ele estava ali, não aguentei e fui direto", festejou.
Segundo o pessoal, Belchior, após certificar-se de que nenhum deles era jornalista, foi extremamente solicito e conversou com os estrelenses por mais de uma hora. Lembrou do show que fez em Lajeado, por volta de 85/86 e perguntou pela cidade e região. E, lógico, conversaram sobre música, bons tempos e Elis Regina. Autorizou a foto com a galera, e brincando, condicionou que não fosse usado photoshop em seu bigode.
Enfim, Antônio Carlos Gomes Belchior Fontenelle Fernandes demonstrou que continua sendo o mesmo cara, e que, apesar de estar fora do país, lembra com carinho de sua terra, como na canção "Tudo outra vez", que nos embalava nas saudosas boates da Soges, comandadas pelo DJ Vaninho:

Gente de minha rua
Como eu andei distante
Quando eu desapareci
Ela arranjou um amante
Minha normalista linda
Ainda sou estudante
Da vida que eu quero dar...

Agradeço aos amigos pelo privilégio de poder postar no blog seus relatos e a foto, gentilmente capturada pela companheira de Belchior.

João Guilherme Ruschel, Fernando Koch, Belchior, Claudiomiro Knebel, Gaspar Franco e Jair Wagner


video

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Congratulations, Mr. Woodstock!

Richie Havens - (21 de janeiro de 1941, Brooklyn, New York )

Em 1969, Havens abriu o Festival de Woodstock; ele foi aclamado pela multidão e foi tocando até ficar sem músicas, decidindo improvisar uma versão de "Motherless Child", a qual ele acrescentou um verso com a palavra "freedom" repetida várias vezes. Esta versão transformaria-se em um sucesso internacional com o lançamento do filme Woodstock em 1970.


Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Richie_Havens

domingo, 16 de janeiro de 2011

Salve São Marcelo!


Papa e santo da Igreja Cristã Romana (308-309) nascido em Roma, eleito quatro anos após a morte de Marcelino I (296-304) devido às terríveis condições em que viviam os cristãos perseguidos por Diocleciano. Em seu breve mandato dedicou-se à recomposição da comunidade de Roma, e tomou duas decisões importantes. Na primeira proibiu a realização de concílios sem a expressa autorização do papa. Na segunda, embora mantivesse uma atitude severa para com os lapsi, cristãos que tinham renegado a fé, durante a perseguição do imperador, estabelecia condições a respeitar nos casos em que se concedesse o perdão a essas pessoas. Essa difícil decisão de conceder o perdão para os lapsos, gerou intensos tumultos que apressaram a intervenção do imperador Massêncio, retirando todos os seus poderes. Preso e acusado de tentar reorganizar a Igreja, foi condenado a servir nos estábulos imperiais com o objetivo de humilhar-lhe. Libertado pelos cristãos, refugiou-se na casa da matrona Lucina que transformara sua casa e uma igreja. Descoberto, foi novamente condenado, preso precisamente na igreja que receberam de Lucila e que foi transformado em um estábulo, onde morreu vítima de privações e humilhações. O papa de número 30 morreu martirizado em Roma, recebeu uma sepultura no Cemitério de Priscila e foi sucedido por São Eusébio (309-310).
Fonte: http://www.netsaber.com.br/biografias/ver_biografia_c_3732.html