Páginas

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Viver é melhor que sonhar


O tempo passou. Aqueles rapazes latino americanos sem dinheiro no bolso fizeram suas vidas, suas famílias e consequentemente seus bolsos. E numa dessas de aproveitar a boa valorização de nossa moeda, resolveram ir às compras em terras estrangeiras.
E não é que lá encontram aquele que alimentou nossa adolescência e juventude cantando que "tudo é divino, tudo é maravilhoso"!
Inveja boa à parte, acompanhada do previsível arrepio, recebo esta história e registro fotográfico de meus amigos Fernando Koch e Jair Wagner. Este último, de camisa branca na foto, com um sorriso que demonstra bem a felicidade e a surpresa de encontrar uma parte de sua história ao vivo e a cores.
Que Belchior estava recluso no Uruguai já é sabido de todos, uma vez que sua privacidade e auto-exílio midiático foram fartamente explorados pela Rede Globo pouco tempo atrás. Porém, que ele circulava por nossas fronteiras, é uma saudável novidade. Principalmente de seus saudosos fãs, que tenho certeza, apoiam o seu retiro proposital, uma vez que um trabalho com canções inéditas está sendo gestado, segundo palavras do próprio Belchior.
Eu fico imaginando a surpresa do Jajá ao dar de cara com o ídolo.
"Cara, quando eu vi, ele estava ali, não aguentei e fui direto", festejou.
Segundo o pessoal, Belchior, após certificar-se de que nenhum deles era jornalista, foi extremamente solicito e conversou com os estrelenses por mais de uma hora. Lembrou do show que fez em Lajeado, por volta de 85/86 e perguntou pela cidade e região. E, lógico, conversaram sobre música, bons tempos e Elis Regina. Autorizou a foto com a galera, e brincando, condicionou que não fosse usado photoshop em seu bigode.
Enfim, Antônio Carlos Gomes Belchior Fontenelle Fernandes demonstrou que continua sendo o mesmo cara, e que, apesar de estar fora do país, lembra com carinho de sua terra, como na canção "Tudo outra vez", que nos embalava nas saudosas boates da Soges, comandadas pelo DJ Vaninho:

Gente de minha rua
Como eu andei distante
Quando eu desapareci
Ela arranjou um amante
Minha normalista linda
Ainda sou estudante
Da vida que eu quero dar...

Agradeço aos amigos pelo privilégio de poder postar no blog seus relatos e a foto, gentilmente capturada pela companheira de Belchior.

João Guilherme Ruschel, Fernando Koch, Belchior, Claudiomiro Knebel, Gaspar Franco e Jair Wagner


10 comentários:

  1. Maria Helena Lange26 de janeiro de 2011 15:46

    Amei a reportagem e que inveja boa desses amigos que o encontraram!
    Com certeza,nossa geração curtiu e ainda tem doces lembranças de suas músicas...

    ResponderExcluir
  2. Simone Jantsch - jornalista26 de janeiro de 2011 15:55

    aham! Sempre com furos de notícia, não é, jornalista Marcelo Petter? rs
    Parabéns!

    ResponderExcluir
  3. E aí Mr. Hair !!! (entenda-se Marcelo Petter)

    Perfeito !!! Sempre narrando os fatos com sensibilidade e autenticidade, que, diga-se de passagem, Lhe são peculiares. Realmente um momento mágico e iluminado na companhia de "apenas um rapaz latino americano..." com o coração cheio de paz e que realmente merece e é ídolo de uma geração.

    Abração
    Jajá Wagner

    ResponderExcluir
  4. Pois bem,como sempre toda a sensibilidade do Kbelo exposta aqui.E os meninos não mudaram nada em mais de vinte anos(claro, alguns cabelos brancos e algumas barriguinhas salientes).Bjs pro Belchior.

    ResponderExcluir
  5. Marcelo, muito bom, valeu dar um toque e parabéns pela matéria.

    Eu que morei por mais de 5 anos em Fortaleza nunca encontrei-o, estatisticamente seria mais fácil, e assisti um show apenas.

    Abraço,
    Josi

    ResponderExcluir
  6. Fala kbelo, parabéns pela reportagem, fiquei feliz ao rever amigos como Fétz,Biro,príncipe Jajá,Gustavo , João... e o mais legal todos felizes em companhia de um ídolo.Muito Legal.Um abração para todos ,do amigo Ivanzinho.

    ResponderExcluir
  7. Kbelo

    Li a do Belchior e amei... nesta semana ando meio década de 80. Já desencavoquei o Caio Fernando de Abreu e o Renato Russo, Beijos. Espero te ver no retorno das aulas. Fani

    ResponderExcluir
  8. mas bah!! tá me saindo um ótimo jornalista!!! e estes guris que não mandam a foto pra mim... magoei e fiquei com dor de cotovelo!! parabéns pela matéria!!! bjs

    ResponderExcluir
  9. Edson Junior Lima de Oliveira para mim
    mostrar detalhes 16:12 (7 minutos atrás)

    Isso foi simplesmente divino e maravilhoso !

    ResponderExcluir
  10. Caraca, meu! Como é o nome da última faixa do vídeo "chorado pra cachorro" e tal? Curti. Eu tinha uns 9 anos e minha irmã Rose ouvia uma "fita BASF amarela", naquela casa da rua do hospital, lembra? Uma das músicas era "Medo de Avião" com "aquele toque Beatle: I wanna hold your hand...". Bããã, deu nó no gogó, véi! Tá loko! Abração do Edinho.

    ResponderExcluir